Bem-vindo à página oficial da Presidência da República Portuguesa

Nota à navegação com tecnologias de apoio

Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação: motor de busca (tecla de atalho 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Cerimónia de Entrega dos
Prémios FAZ - Empreendedorismo Inovador na Diáspora e Ideias de Origem Portuguesa
Cerimónia de Entrega dos Prémios FAZ - Empreendedorismo Inovador na Diáspora e Ideias de Origem Portuguesa
Fundação Calouste Gulbenkian, 6 de junho de 2014 ler mais: Cerimónia de Entrega dos
Prémios FAZ - Empreendedorismo Inovador na Diáspora e Ideias de Origem Portuguesa

PALÁCIO de BELÉM

Veja as Imagens |

Palácio de Belém (1)
Palácio de Belém (2)
Palácio de Belém (3)
Palácio de Belém (4)
Palácio de Belém (5)
Palácio de Belém (6)
Palácio de Belém (7)
Palácio de Belém (8)
Palácio de Belém (9)
Palácio de Belém (10)
Palácio de Belém (11)
Palácio de Belém (12)
Palácio de Belém (13)
Palácio de Belém (14)
Palácio de Belém (15)
Palácio de Belém (16)
Palácio de Belém (17)
Palácio de Belém (18)
Palácio de Belém (19)
Palácio de Belém (20)
Palácio de Belém (21)
Palácio de Belém (22)
Palácio de Belém (23)
Palácio de Belém (24)
Palácio de Belém (25)
Palácio de Belém (26)

Clique na imagem para ampliar.

Palácio de Belém Clique aqui para ouvirClique aqui para ouvir|Clique aqui para diminuir o tamanho do texto|Clique aqui para aumentar o tamanho do texto

O Palácio, localizado em Belém, outrora palácio de reis, é hoje monumento nacional e sede da Presidência da República Portuguesa. Chamado "das leoneiras" no século XVIII, parece ter como emblema o leão - símbolo solar que alia a Sabedoria ao Poder. Uma bandeira de cor verde com o escudo nacional - o estandarte presidencial - é hasteada no palácio indicando a presença do Presidente em Belém.

Trata-se de um conjunto arquitetónico e paisagístico onde avulta um edifício central de cinco corpos com frente para o rio Tejo. A um primeiro palacete, para nascente do Pátio das Damas - o Anexo - segue-se, na viragem para a Calçada da Ajuda, outra construção - o Picadeiro Real, hoje Museu dos Coches. Para poente desenvolvem-se os conjuntos do Pátio dos Bichos, do pavilhão da Arrábida e do Jardim da Cascata. Na direção do sul estende-se o Jardim Grande, que termina num mirante cujo gradeamento prolongado para nascente e poente encontra dois pequenos pavilhões, outrora designados "casas de recreação".

Entrada do Palácio de BelémA entrada no palácio faz-se pela rampa do Pátio dos Bichos. Por aqui entram os convidados do Presidente da República e visitas oficiais. No lado esquerdo da subida está o antigo Pátio das Equipagens, onde antes se encontravam as cavalariças e depósitos de coches e arreios. Atualmente estas instalações acolhem o Museu da Presidência da República. A rampa termina no Pátio dos Bichos.

É junto a esta entrada que se realiza, no 3.º domingo de cada mês, às 11 horas, a Rendição Solene ou Render da Guarda, realizado pela guarda de honra do Palácio Nacional de Belém, a cargo do Esquadrão Presidencial do Regimento de Cavalaria da Guarda Nacional Republicana.

Ao entrar no Pátio dos Bichos vê-se ao lado direito a fachada poente do palácio. Aqui, nota-se, pela diversidade da construção, a junção dos dois edifícios: a Arrábida e o palácio. A fachada é constituída por uma porta central, duas laterais, e três janelas de sacada. Ao fundo do pátio encontra-se um muro com uma fonte e várias portas gradeadas que foram, em certa época, ocupadas por animais selvagens provenientes de África.

Na escada de acesso à Sala das Bicas podemos ver o pórtico de pedra (anteriormente exterior) e os vitrais das janelas posteriormente introduzidas.

Palácio de Belém - Sala das BicasA sala das Bicas possui chão de mármore preto e branco, nas paredes silhares de azulejos policromos e bustos de jaspe representando imperadores romanos, um enorme lustre de bronze, reposteiros em cor escura com o escudo de D. João V (sem coroa), o teto de madeira pintado e duas bicas que dão o nome à sala.

Imagens desta sala são transmitidas frequentemente na televisão, sempre que os convidados do Presidente da República prestam declarações aos jornalistas.

À direita da Sala das Bicas fica a Sala de Jantar num corpo do palácio que não fazia parte da edificação primitiva, construída no século XVI por D. Manuel de Portugal. Houve um período (1980-1985) em que esta sala serviu de museu expondo os presentes oferecidos ao Presidente Ramalho Eanes. Voltou depois à sua função de sala de refeições para convidados.

À esquerda da Sala das Bicas fica um corredor que serviu de Galeria dos Retratos dos anteriores Presidentes da República. Hoje, esses retratos pintados a óleo sobre tela, estão expostos no Museu da Presidência da República.

A Sala Dourada comunica com o primeiro dos três salões da zona nobre do Palácio - já assim fora concebido no tempo de D. Manuel de Portugal.

Palácio de Belém - Sala DouradaO sumptuoso teto da Sala Dourada foi executado no século XVIII, é apainelado, tem uma pintura central alegórica e quatro medalhões nas quadras, rodeados de uma profusão de ornatos de talha dourada.

Por trás da Sala Dourada existe uma pequena capela onde foram batizados o Rei D. Manuel II e o seu irmão, o príncipe Luís Filipe, e, ainda, Miguel, o segundo filho do Presidente Ramalho Eanes.

A Sala Império - assim conhecida por estar decorada com móveis desse estilo -, também chamada Sala Verde, chamou-se anteriormente Sala dos Retratos ou dos Presidentes - por nela se encontrarem, até 1985, os retratos dos Presidentes da República - e antes disso Sala D. João V - pela presença em dada altura de um magnifico busto do Rei, que agora se encontra no Convento de Mafra.

Na parede onde antes se expunham os retratos, encontra-se agora um quadro de grandes dimensões, que contém um elemento curiosamente semelhante ao existente no centro do teto pintado: um medalhão de D. João VI.

Palácio de Belém - Sala Azul, também chamada Sala dos EmbaixadoresSegue-se a Sala Azul, também chamada Sala dos Embaixadores. O teto é igualmente apainelado e foi em tempos muito mais rico e elaborado. Atualmente, aqui se realizam as tomadas de posse individuais de membros do Governo e, aqui, os embaixadores estrangeiros entregam as suas cartas credenciais ao Presidente da República.

Comunicando com a Sala Azul está o Gabinete de Trabalho do Presidente. Durante muitos anos foi quarto de cama, nele dormiram alguns reis e alguns hóspedes ilustres da Coroa. Este quarto sofreu várias transformações. Entre as últimas constam as que se fizeram para a acomodação de D. Amélia, em 1886, obra em que participaram os artistas Columbano e Malhoa. Palácio de Belém - Gabinete de Trabalho do Presidente da RepúblicaFinalmente, fez-se a instalação do gabinete de trabalho do Presidente Ramalho Eanes. Antes disso, o gabinete do Presidente da República era noutro local e esta era a sala onde reunia o Conselho de Estado.

A atual sala onde se reúne o Conselho de Estado é a mesma que D. Maria II, em 1852, adaptou a sala de baile e onde na época tiveram lugar alguns bailes íntimos da corte.

É pelo atual Pátio das Damas que se faz o movimento geral do palácio. Este, pouco conserva do tempo de D. Manuel de Portugal, em que era mais acanhado.

Atualmente o pátio está limitado, à esquerda de quem entra, pelas traseiras do Museu dos Coches (antigo picadeiro), ao fundo pelo muro do Jardim de Buxo e pela ala nascente do palácio e à direita pelo Palacete construído no início do século XX pelo Rei D. Carlos, para alojar as comitivas dos visitantes oficiais. Foi então que foram derrubadas as velhas construções, ampliado o pátio e aberto um portão para a Calçada da Ajuda.

 
partilhar | imprimir | enviar | voltar

© 2006-2014 Presidência da República Portuguesa