Presidente da República evoca Artur Rosa

«O outro casal», assim se chamava uma exposição de fotografias concebidas por Helena Almeida e captadas por Artur Rosa, que esteve patente na fundação Vieira da Silva / Arpad Szenes.

Não eram apenas dois artistas que formavam um casal, eram colaboradores frequentes, indispensáveis, e que voltavam uma e outra vez à própria ideia de casal: «É sempre ele», disse Helena Almeida, explicando que as fotografias (muitas das quais os mostravam a ambos) tinham ser uma «vivência» registada por uma pessoa íntima. Fizeram-no ao longo de décadas, desde 1979, duas figuras às vezes literalmente unidas uma à outra, em imagens fortes e tocantes.

Mas há também o outro Artur Rosa, que foi arquitector e escultor, além de ter desenhado a cenografia e os figurinos de espectáculos de teatro e de bailados. Das suas obras, a mais conhecida e mais visível é a estação de metropolitano do Terreiro do Paço, distinguida com o Prémio Valmor.

Foi um homem de muitos talentos, constante e discreto, a cuja famíla endereço os meus pêsames.

24.03.2020