Saltar para o conteúdo (tecla de atalho c)

Presidência da República Portuguesa

Presidência da República Portuguesa

Intervenção na cerimónia de tomada de posse do Secretário-Geral das Nações Unidas, António Guterres

Exmo. Senhor Presidente da Assembleia Geral,
Exmo. Senhor Secretário-Geral,
Vossas Excelências,
Minhas Senhoras e Meus Senhores,
Senhor Secretário-Geral, calorosas felicitações,

É uma grande honra estar aqui, mais uma vez, perante a Assembleia Geral e felicitar António Guterres por ter sido nomeado para um segundo mandato como Secretário-Geral.

Como aconteceu há cinco anos, Portugal decidiu submeter o seu nome para o cargo de Secretário-Geral das Nações Unidas. Por uma razão muito simples: a forte convicção de que António Guterres é particularmente adequado para o cargo e tem estado à altura das expectativas.

Ninguém poderia ter previsto, há cinco anos, a dimensão exata dos desafios que o mundo – e as Nações Unidas – enfrentariam. Sabíamos todos que seria um desafio, não sabíamos o quanto.

Atrevo-me a dizer que António Guterres provou ser a pessoa certa, na altura certa. A confiança que hoje, uma vez mais, depositaram nele é uma prova sólida.

O empenho destemido do Eng. Guterres num multilateralismo eficaz e eficiente é complementado por algo talvez mais raro e mais precioso: ele é um multilateralista compassivo.

Conhecendo-o há cinquenta e cinco anos, em lutas comuns e depois em posições opostas, Primeiro-Ministro e Líder da oposição, conhecendo-o, como todos vós o conheceis por esta altura, depois dos seus anos como Alto-Comissário para os Refugiados, depois do seu primeiro mandato como Secretário-Geral – também sabemos que, para ele, colocar as pessoas no centro da sua ação não é apenas uma escolha, é um imperativo. Ele continua a tradição dos seus ilustres antecessores que encarnaram o espírito da Carta: conduzir as Nações Unidas ao serviço de “nós, os povos”.

Atualmente, enfrentamos tempos de incerteza ainda maior. Todos sabemos – todos temos de saber – que não os podemos enfrentar sozinhos e que não podemos deixar ninguém para trás.

Já muito foi feito desde 2017:

  • foram implementadas reformas necessárias nas áreas do desenvolvimento sustentável, paz e segurança e gestão;
  • a representação das mulheres avançou através de uma estratégia ousada de Paridade de Género, que já produziu resultados, inclusive a nível sénior;
  • os direitos humanos foram mais incorporados na ação da organização, em conformidade com o apelo à ação do Secretário-Geral;
  • a voz da juventude foi fortalecida;
  • o desafio imenso da pandemia foi enfrentado de frente e foi exigido um cessar-fogo global;
  • o seu forte apelo à vacinação dos povos de todos os países, nomeadamente os mais pobres, foi permanente;
  • e, não menos importante, o Secretário-Geral tem sido uma voz de liderança na ação climática.

Excelentíssimo Senhor Presidente,

Acreditamos que a visão de António Guterres, a sua persistência, a sua audácia, a sua justiça e o seu espírito solidário serão também fundamentais nos próximos cinco anos.

Portugal está grato a todas as Nações aqui unidas, hoje, por reafirmarem a sua confiança no candidato que apresentámos. Este é um exemplo, um dos inúmeros exemplos, do trabalho notável que todos vós fazeis, aqui: um exemplo de que podemos trabalhar em conjunto, podemos ultrapassar diferenças, podemos concordar e promover o consenso. Podemos unir-nos para servir os nossos povos.

Muito obrigado.

Relacionados

English Version

All the contents of this website can be listen by clicking on this symbol:


This tool also allows you to translate all the contents of this website into English and 17 other languages, including the News area, which is only available in Portuguese.

Translations are provided by Google Translate

Este sítio utiliza cookies apenas para melhorar a funcionalidade e a sua experiência de utilização. Ao navegar neste sítio está a consentir a utilização dos mesmos.
Ocorreu um erro durante o envio da mensagem.
Por favor tente mais tarde.